Natureza Morta

De que valem os séculos
se já conheço todos os cantos da aurora
Quero que a chuva forte
arranque minhas raízes
desta terra vil

Apodrecer no rio disseminando
a vida de sementes distraídas
nos arroios límpidos do paraíso

E depois de milhares de anos,
viro o sonho da lama negra
escapando minhas partículas
no ar (infinitas possibilidades)

Sempre na superfície…
A ambição dos homens
não alimenta sequer seus desejos
anseio por apodrecer no outono

Me sinto bem entre os vermes
e a umidade da terra nutre
meus ossos de madeira,
solidão

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s